Funcionamento: Segunda a Sexta das 09h00 as 19h00
Ligue 11 5571 8777 | Whatsapp: (11) 95628-5959

Entenda o que é dermatite atópica e descubra quais são suas opções de tratamento.

O que é Dermatite atópica?

A dermatite atópica é um dos tipos mais comuns de alergia de pele. Trata-se de uma doença inflamatória, que causa intenso prurido (coceira) e lesões na pele.

Quais as causas da dermatite atópica?

A causa da dermatite atópica, infelizmente, ainda é desconhecida. No entanto, as pesquisas apontam para a hereditariedade como o fator principal de desencadeamento da doença.

Ela, portanto, geralmente afeta pessoas que tenham histórico familiar ou pessoal de asma, rinite alérgica e da própria dermatite atópica.

Os fatores desencadeadores da dermatite atópica podem ter duas naturezas:

  • De dentro para fora: quando a dermatite atópica é causada por um desequilíbrio imunológico
  • De fora para dentro: quando a dermatite atópica é causada por alterações genéticas da pele.

Entretanto, pesquisas mais recentes têm indicado que ambos os fatores estão presentes no paciente com dermatite atópica. A variação existe apenas em sua intensidade, determinando casos mais leves ou mais graves.

Fatores Desencadeantes

Além do fator hereditário, existem alguns fatores que podem determinar o desencadeamento da crise alérgica. Por isso é importante identificá-los e evita-los. Os mais comuns são:

 

  • Pólen;
  • Mofo;
  • Ácaros;
  • Animais domésticos, como cachorros e gatos;
  • Contato com materiais ásperos;
  • Exposição a substâncias irritantes, como:
    • produtos de limpeza,
    • perfumes,
    • detergentes,
    • fragrâncias e corantes presentes em sabonetes,
    • loções e outros cosméticos;
  • Roupas de lã e de tecido sintético;
  • Baixa umidade do ar;
  • Frio intense;
  • Calor e transpiração;
  • Infecções;
  • Estresse emocional;
  • Certos tipos de alimentos.

Principais sintomas

Os principais sintomas da dermatite atópica são:

  • pele muito seca, com prurido (coceira) intenso que leva a ferimentos,
  • áreas esfoladas causadas pela coceira,
  • alterações na cor, vermelhidão ou inflamação da pele ao redor das bolhas,
  • áreas espessas ou parecidas com couro, que podem aparecer após irritação e coceira acentuada.

Seu surgimento ocorre com maior frequência nas dobras dos braços e pernas, rosto, pescoço, joelhos, tornozelos e pés.

É fundamental enfatizar que a dermatite atópica não é uma doença contagiosa. Ou seja, pode-se tocar nas lesões sem nenhum risco de contaminação.

A dermatite atópica apresenta 3 níveis de gravidade: leve, moderada e grave. Para classificá-la, é necessário levar em consideração o nível dos seguintes sintomas:

  • Extensão das lesões
  • Intensidade das lesões
  • Importância do prurido e das perturbações do sono.

 

Tratamento

Como não existe cura para a dermatite atópica, o objetivo do tratamento dessa doença é controlar a coceira e reduzir a inflamação. Ou seja, melhorar a qualidade de vida do paciente e evitar que outras crises aconteçam.

A base do tratamento consiste no uso de emolientes várias vezes ao dia, conhecidos popularmente como hidratantes. Isso porque eles ajudam a reduzir o ressecamento da pele, aliviando o eczema.

Também deve-se ter o cuidado de proteger a pele do contato com substâncias alérgenas, como poeira, pólen, ácaros, sabonetes, perfumes, produtos de limpeza.

Evitar banho quentes e muito prolongados. Isso porque a água quente aumenta o ressecamento da pele. O ideal são banhos mornos a frios, mesmo no inverno. Além disso, considere o uso de sabonetes especiais anti ressecamento, respeitando o PH natural da pele.

O uso de antialérgico ou anti-histamínicos via oral também podem ajudar na diminuição da coceira. Muitos desses medicamentos causam certa sonolência. Isso pode ajudar o paciente na hora de dormir, evitando o incômodo da coceira que, em muitos casos, atrapalha o sono. Nos casos em que o paciente não queira lidar com este efeito colateral, ele deve comunicar ao médico. Ele, então, irá indicar uma medicação que não cause sonolência.

A maioria dos sintomas da dermatite atópica pode ser tratada com medicamentos tópicos, ou seja, que são aplicados diretamente sobre a pele ou no couro cabeludo do paciente. A pomada mais comum utilizada é a base de cortisona (ou esteroide).

Mas cuidado, esse medicamento deve ser de uso restrito, devido aos seus efeitos colaterais. Dependendo do caso, é necessário aplicar diferentes concentrações da pomada em diferentes áreas do corpo. Uma opção para a cortisone são os derivados da calcineurina.

Outro tipo de tratamento bastante eficaz para a dermatite atópica é o uso da fototerapia, com raios ultravioletas. Além de ser uma terapia de alto custo, no entanto, o procedimento pode causar envelhecimento precoce, e até câncer de pele. Por isso, só é utilizada em casos especiais e de difícil controle.

Os casos graves também podem requerer o uso de medicações orais. Além dos corticóides que já mencionamos acima, os imunossupressores, como ciclosporina e metotrexato orais, entre outros medicamentos, podem ser utilizados.

Em casos que ocorrem complicações como infecções secundárias, é necessário o uso de antibióticos.

É importante ressaltar a necessidade de sempre consultar um dermatologista, seguir suas orientações e não se automedicar. Nos casos mais graves, que apresentam associações como asma, rinite, sinusite e pneumonias é necessário consultar mais de um especialista para chegar num tratamento adequado para o caso.

Prevenção

Por ser uma doença crônica e recorrente, o paciente deve estar sempre atento aos fatores desencadeantes da crise e evitá-los. O uso constante de hidratantes para melhorar a pele ressecada também é bastante importante.

Se você ainda não esteja certo de que seu quadro é de dermatite atópica, é indicado que você procure um dermatologista para uma avaliação mais detalhada do seu caso.

A dermatite atópica atinge até 20% das crianças e de 1% a 3% dos adultos. Fique alerta e procure um dermatologista de confiança.