Funcionamento: Segunda a Sexta das 09h00 as 19h00
Ligue 11 5571 8777 | Whatsapp: (11) 98920-4546

Quem não gostaria que inventassem uma fórmula mágica que fizesse com que a pele ficasse jovem, firme e luminosa para sempre?

A medicina estética, felizmente, evoluiu muito nos últimos anos, nos ajudando a diminuir e retardar o aparecimento das tão temidas rugas. São inúmeros os tratamentos estéticos

que realmente trazem bons resultados.

Por isso, embora ainda não seja possível parar o tempo, já é viável pelo menos dar uma pausa ou fazer ele passar um pouco mais devagar.

Mas como já dizia o estrategista chinês Sun Tzu, é preciso conhecer o inimigo para que possamos combatê-lo. Portanto, vamos entender como se dá o processo de envelhecimento e o que podemos fazer para atenuar seus efeitos e até mesmo retardar seus sinais.

O que é colágeno e qual o seu papel no processo de envelhecimento?

Vamos começar pelo colágeno, o grande protagonista desta saga e a proteína mais abundante no nosso organismo (você sabia que ele representa 25% da proteína corporal?).

O colágeno é o elemento responsável pela sustentação e elasticidade da pele. Outro componente fundamental é a elastina. Como o próprio nome indica, a elastina dá elasticidade aos tecidos, sendo responsável pela sua estrutura.

Ela não está presente em abundância no nosso corpo, mas aparece principalmente nos pulmões, em grandes vasos sanguíneos, ligamentos e, claro, na pele. Nela, a elastina vai se unir às fibras do colágeno, e com isso evitar o envelhecimento.

Com o passar dos anos, nosso organismo passa naturalmente a produzir menos colágeno. Especialmente a partir dos 25 anos de idade, quando essa diminuição se torna mais evidente, chegando a ser de 1% a cada ano.

As mulheres são as que mais sofrem com a perda de colágeno, pois apresentam uma quantidade menor desta proteína no corpo.

Além disso, a deficiência de estrogênio que ocorre por volta dos 45-50 anos faz com que haja uma diminuição da quantidade das células responsáveis pela produção do colágeno. Junto com outra proteína, a elastina, essas células compõe a trama de sustentação da pele.

Além desses fatores intrínseco de diminuição do colágeno, também existem outros, os extrínsecos, que podem ser evitados. Isso porque dependem única e exclusivamente do nosso estilo de vida.

Confira alguns hábitos que podem contribuir para o envelhecimento da pele:

Ingestão de alimentos com açúcar e carboidratos finos:

Esses dois tipos de alimentos interferem na capacidade de reparação e renovação da pele, intervindo na produção de colágeno.

Para manter a pele mais jovem e saudável por mais tempo, procure reduzir ou eliminar a ingestão desse tipo de alimento.

Exposição solar

Tomar sol em excesso, principalmente nos horários de pico – entre 10 horas

da manhã e 4 da tarde – reduz a produção do colágeno.

Nesses horários, o nível de radiação ultravioleta é maior, causando esse e outros danos para a pele e para a saúde no geral.

Por isso, evite a exposição excessiva e se proteja! Use chapéus, camisetas de manga comprida e protetor solar com fator de proteção acima de 20.

Tabagismo

Fumar faz muito mal para a saúde em todos os sentidos possíveis, inclusive para a produção de colágeno. Quem fuma acelera, e muito, o aparecimento de rugas.

Isso acontece porque as substâncias contidas no cigarro prejudicam o processo

de cicatrização da pele.

Estresse

O estresse crônico, ou seja, aquele que é mantido por longos períodos, pode afetar a produção de colágeno. Isso acontece porque as glândulas supra renais produzem o cortisol, hormônio relacionado ao estresse, em excesso.

O cortisol danifica a produção do colágeno no organismo.

Como prevenir o envelhecimento precoce da pele

Bom, já deu pra sentir o que pode ser feito para retardar o envelhecimento: levar uma vida equilibrada e sem excessos, dormir bem, se alimentar de maneira saudável, não se expor

demais ao sol e nem fumar.

Fazer uma reposição desse colágeno perdido através da ingestão de alguns alimentos que auxiliam na produção dessa proteína é um dos caminhos naturais para se manter a pele jovem.

Primeiro é preciso entender que a produção de colágeno se dá através da combinação de dois aminoácidos: glicina e prolina. Esse processo também precisa da presença de vitamina C para ocorrer.

Portanto, é importante ingerir alimentos com todos esses 3 elementos. Veja alguns exemplos:

  • Glicina: é encontrado em grandes quantidades na pele do porco, do frango e na gelatina e na maioria dos alimentos que contém proteína.
  • Prolina: Clara de ovo, repolho, aspargos e cogumelos.
  • Vitamina C: frutas cítricas, brócolis, pimentão, morangos, entre outros.

Além da C, outras vitaminas são igualmente importantes para combater o envelhecimento das células da pele. Por exemplo:

  • Vitamina A: ajuda a recuperar os tecidos danificados;
  • Vitamina E: lubrifica as fibras do colágeno;
  • Licopeno (tomate, frutas vermelhas) e Betacaroteno (batata doce, cenoura, abóbora, pimentão, couve e espinafre): são importantes antioxidantes.

Como os antioxidantes podem ajudar?

Já que falamos neles, os antioxidantes, faz-se necessário abrir um parênteses para explicá-los brevemente:

Os antioxidantes são moléculas capazes de neutralizar os radicais livres, átomos ou moléculas instáveis responsáveis pela oxidação das células. Esse é o processo que causa os sinais da idade como as rugas e as linhas de expressão.

Por isso, são muito importantes no combate ao envelhecimento da pele.

Os antioxidantes também agem de outras formas contra os radicais livres, impedindo que eles ataquem as células, causando lesões.  Ainda reparam os danos causados por essas moléculas, reconstituindo as células danificadas.

Existem dois tipos de antioxidantes:

  • Os enzimáticos, produzidos naturalmente pela pele;
  • Os não enzimáticos, como as vitaminas C e E, o betacaroteno e os flavonoides.

Além de agirem no combate ao envelhecimento cutâneo, essas substâncias também protegem a pele de agentes agressores externos como a poluição, a radiação infravermelha e a fotossensibilidade.

Você pode encontrar antioxidantes em dermocosméticos e em alguns alimentos que contribuem para manter sua pele saudável e jovem por muito mais tempo.

Se além do que abordamos acima, você ainda quiser saber mais sobre como preservar a juventude da pele por mais tempo, agende uma avaliação com um dermatologista.

Ele é o especialista indicado para dizer que tipo de tratamento fazer, quais cosméticos utilizar e até mesmo indicar procedimentos estéticos adequados para sua pele.