Funcionamento: Segunda a Sexta das 09h00 as 19h00
Ligue 11 5571 8777 | Whatsapp: (11) 98920-4546

O melasma no rosto é uma doença de sintoma estético e bastante incômodo. Quem tem sabe que é uma luta diária e muitas vezes perdida para tentar esconder ou ao menos disfarçar as manchas. De cor castanho-escura, elas minam a autoestima e podem até causar prejuízos sociais e profissionais na vida do paciente. Mais comum em mulheres em idade entre 20 e 50 anos ( apenas 10% dos pacientes são homens), o melasma aparece com maior frequência na testa, área superior ao lábio, maçãs da face e queixo.

Para que você possa combater de maneira eficiente o melasma no rosto, respondemos as dúvidas mais recorrentes e importantes. Veja a seguir:

 

O que é melasma no rosto?

 

O melasma é uma condição que se caracteriza pelo hiperpigmentação da pele devido ao aumento da produção da melanina, proteína responsável pela coloração e pela proteção aos raios ultravioleta. O resultado desse transtorno são manchas castanho-escuras, com limites definidos e formato irregular. Em geral aparecem de maneira similar em ambos os lados da face. A depender do estágio da doença, as manchas podem cobrir todo o rosto. Também costumam aparecer com menos frequência no colo e pescoço.

 

O que causa o melasma no rosto?

 

As causas do melasma ainda não foram completamente desvendadas. O que se sabe é que os melanócitos, células produtoras da melanina, quando estimulados pela radiação solar, produzem pigmento em excesso, ocasionando as manchas.

 

Apesar de ainda não se saberem as causas, sabe-se que existem fatores de risco. Além do tipo de pele escura como em descendentes de árabes, africanos e hispânicos, herança genética, sexo e faixa etária ( mulheres de 20 a 50 anos são maioria), existem os seguintes aspectos comuns aos portadores do melasma:

  • Exposição ao sol e ao calor
  • Gravidez
  • Anticoncepcionais a base de hormônios
  • Alteração hormonal devido ao estresse
  • Tratamentos para reposição hormonal
  • Disfunção da tireóide

 

Melasma tem cura?

 

Infelizmente o melasma é uma doença crônica, recindivante e, portanto, não tem cura.

 

Quais os tratamentos disponíveis ?

 

Os tratamentos para melasma se dividem entre os clareadores ou antipigmentantes tópicos (cremes e pomadas) e procedimentos estéticos.

 

Tratamentos tópicos:

 

Hidroquinona

 

Usada em concentrações de 4% e 5%, a hidroquinona é uma das substâncias mais utilizadas no clareamento de manchas de melasma. Porém, deve ser utilizada por no máximo 3 meses. O uso prolongado pode ser tóxico para o organismo. Depois desse período a hidroquinona deve ser substituída por outra substância clareadora.

 

 

Ácidos

 

Os ácidos combinados com cremes para uso tópico são bastante recomendados. Os resultados demoram cerca de 2 meses para começarem a aparecer. Entretanto, não funciona com todos os pacientes. É importante ressaltar que o tratamento deve ser feito juntamente com o uso diário de filtro solar de alta proteção. Alguns ácidos utilizados: arbutin, ácido kójico, ácido fítico, ácido tranexâmico, ácido dióico, ácido glicólico, ácido retinóico e ácido azeláico.

 

Procedimentos Estéticos:

 

Peelings

 

Peelings são procedimentos que promovem uma esfoliação na camada superficial da pele. Sua ação promove uma renovação da pele e um estímulo de colágeno, proporcionando uma pele mais jovem e firme. Um de seus benefícios consiste no clareamento de manchas de melasma. No entanto, devemos ficar atentos à concentração do peeling. Caso ele seja muito agressivo, é possível que atinja camadas profundas, causando processos inflamatórios. Isso pode resultar num agravamento das manchas, pois os melanócitos podem ser estimulados e produzirem mais melanina.

Os peelings indicados para o tratamento de melasma devem ter concentração de 30% e os ácidos recomendados são o retinóico, glicólico e mandélico.

As sessões devem ser feitas com intervalos de no mínimo 15 dias. A fotoproteção deve ser intensa pois a exposição aos raios ultravioletas farão com que as manchas reapareçam.

 

 

Microagulhamento ou micropunção elétrica:

 

O processo de tratamento do melasma é muito eficiente com o procedimento de microagulhamento ou micropunção elétrica. As microlesões geradas através da técnica de “microneedling permitem que ativos despigmentantes atinjam as camadas mais profundas da derme. Além disso, o procedimento é feito de maneira uniforme e com o tamanho de agulha indicado para cada caso. O resultado é um combate às manchas com efeitos mais satisfatórios do que outros procedimentos.

 

Após a sessão, uma máscara com produtos nanoencapsulados clareadores é deixada cerca de 4 a 6 horas.

 

Para melhores resultados deve-se fazer de 3 a 6 sessões com intervalos de no mínimo 15 dias, a depender de cada caso.

 

Além do benefício de combate ao melasma, a técnica de microagulhamento também proporciona um rejuvenescimento, uma vez que estimula a produção de colágeno.

 

Após cada sessão deve-se evitar a exposição solar e usar diariamente filtro solar não oleosos e não alcoólicos que deverão ser receitados pelo dermatologista.

 

 

 

Como Prevenir o aparecimento do melasma?

 

Já que o melasma não possui cura, devemos nos preocupar com a prevenção para que ele não apareça ou reapareça. Como os raios ultravioletas presentes na exposição solar são o principal fator desencadeante, faz-se necessário o uso de filtro solar de alta proteção diariamente.

 

Porque desenvolvemos melasma na gravidez?

 

O melasma costuma aparecer na gravidez devido às alterações hormonais que estimulam a produção da melanina. Além do melasma outras características desse período são o escurecimento dos mamilos, da vagina e da linha no meio da barriga.

 

Se você já fazia uso de tratamento tópicos antes de engravidar, o melhor a fazer é interromper todos os produtos e procurar o dermatologista. No entanto, assim como em outros casos, é recomendável a prevenção através do uso de filtro solar e evitar a exposição solar ao máximo. O uso de antioxidantes como a vitamina C podem auxiliar no combate às manchas, mas apenas use com prescrição do seu médico.

 

Entre os procedimentos estéticos, o peeling de diamante está liberado e pode ajudar a manter a pele mais uniforme e viçosa.

 

 

 

A luz artificial pode provocar melasma?

 

Estudos recentes indicaram que a luz visível, ou seja, a radiação emitida por lâmpadas fluorescentes, celulares, tablets, TVs e computadores pode contribuir para o aparecimento de melasma em pessoas predispostas. Para prevenir, o uso de protetor solar com cor, aqueles que também são base, é recomendado. Esse tipo de cosmético funciona como uma segunda barreira de proteção e também age barrando a ação da luz visível.

Porque o estresse pode desencadear o melasma?

 

O estresse constante e em excesso resulta num aumento do processo oxidativo do organismo e uma produção maior de radicais livres. Esse processo ocorre a nível da derme causando um envelhecimento acelerado. Entre os sintomas estão o aumento da flacidez, rugas e manchas de melasma no rosto. Não é à toa que agentes antioxidantes são recomendados no tratamento desse tipo de mancha.